Morar Melhor está há quatro meses sem água regular

Moradores do conjunto habitacional Morar Melhor, aparelho social de moradias populares da capital, reclamam do abastecimento de água fornecido pela CAERD (Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia). Segundo o líder comunitário, Tiago de Lima Melo, sub-síndico do complexo e responsável para o acompanhamento do problema, a empresa tem sido omissa no serviço e nas informações sobre a solução. Uma audiência pública está marcada para o próximo dia 19, na Assembleia Legislativa, para discutir o problema e buscar soluções imediatas.

Há quatro meses os moradores convivem com o problema de racionamento de água, apesar do complexo habitacional possuir 13 poços artesianos de até 88 metros de profundidade. “A Caerd alega que os poços estão secos o que é contestado pela empresa que construiu o sistema de abastecimento de água”, afirmou Tiago. O abastecimento provisório com caminhão pipa também não é suficiente para suprir a demanda.

Tiago é líder comunitário do complexo residencial – Foto: Solano Ferreira/Diário da Amazônia

O Morar Melhor é composto por 2.515 apartamentos com população estimada em mais de 8 mil moradores, sendo maior do a população de 14 municípios de Rondônia. “É incabível tanta gente ficar restringida de água, um bem essencial para a vida, e fundamental para as rotinas domésticas. Apelamos para que isso seja resolvido”, salientou o líder comunitário.

Diário da Amazônia

Visualizações:
18
Categoria:
Capital · Rondônia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Quero anunciar!