Connect with us

Oi, o que você está procurando?

Covid-19

O que se sabe sobre a Ômicron, variante descoberta na África do Sul

Uma seringa e uma ampola de imunizante contra a covid-19 em frente à bandeira da África do Sul, onde surgiu a variante ômicron do coronavírus - Imagem: DADO RUVIC (REUTERS)

A Ômicron têm potencial para se tornar predominante no mundo e superar a Delta, que segundo a OMS é responsável pela grande maioria de infectados com a Covid-19

Sul-africanos esperam em fila para ser vacinados contra a Covid-19 – Foto: SIPHIWE SIBEKO/REUTERS

A África do Sul voltou ao centro das atenções e preocupações mundiais quando o assunto é a evolução da pandemia. Isso porque, há uma semana, cientistas que trabalham no país africano detectaram uma nova variante do SARS-CoV-2, chamada de Ômicron.

Na última sexta-feira, a OMS (Organização Mundial de Saúde) classificou a nova cepa como de preocupação. O novo vírus apresenta ao menos 36 mutações proteína spike (parte do vírus responsável pela entrada na célula humana) e dez mutações só no receptor ACE2 (partícula que ajuda a criar esse ponto de entrada). Em comparação, a variante Beta tem três e a Delta, dois.

De acordo com o cientista brasileiro Tulio de Oliveira, diretor do laboratório Krisp, na Faculdade de Medicina Nelson Mandela, da Universidade KwaZulu-Natal, em Durban, na África do Sul, aw mutações da Ômicron causam muitas preocupações.

“Esta nova variante, B.1.1.529 [nome científico], parece se espalhar muito rápido. Em menos de duas semanas ela domina todas as novas infecções, após uma onda da Delta devastadora na África do Sul”, disse Oliveira.

Onde a variante já foi detectada?

A Ômicron têm potencial para se tornar predominante no mundo e superar a Delta, que segundo a OMS é responsável pela grande maioria de infectados com a Covid-19.

Além da África do Sul, já foram registrados casos em outros 12 países – Botswana, Canadá, Bélgica, Itália, Alemanha, Holanda, Reino Unido, Portugal, Dinamarca, República Tcheca, Israel e Austrália – e no território de Hong Kong.

Na África do Sul, os infectados se concentram no centro econômico do país, na província de Gouteng, onde estão as cidades de Joanesburgo e Pretória. Porém, os cientistas acreditam que haja casos em outras regiões.

Pessoas infectada com Ômicron ficam mais grave?

Ainda não há evidências científicas de que a nova cepa seja mais transmissível. Os números de casos estão em alta, principalmente em algumas regiões da África do Sul, porque os estudos genômicos estão em andamento.

Publicidade. Continue lendo sua matéria ao descer mais a página

A OMS aponta que não está claro se a infecção com Ômicron causa doença mais grave em comparação com infecções com outras variantes, incluindo Delta. Dados preliminares sugerem que há taxas crescentes de hospitalização na África do Sul, mas isso pode ser pelo crescimento da doençã por lá.

As únicas evidências apontadas pela Organização sugerem que há um risco aumentado de reinfecção com a variante. O que significa que pessoas que já tiveram Covi-19 podem ficar doentes mais fácil com a variante.

Quais os sintomas da infecção com a nova cepa?

Atualmente, não há informações de sintomas associados ao Ômicron sejam diferentes daqueles de outras variantes, de acordo com a OMS.

Porém, a médica Angelique Coetze, presidente da Associação Médica da África do Sul, em entrevista ao jornal The Telegraph afirmou que os sintomas são mais leves e diferentes. De acordo com ela, os pacientes apresentaram cansaço excessivo, dores no corpo e na cabeça. Sem aparecimento de tosse, perda de olfato e paladar.

Mas Angelique ressaltou que as pessoas atendidas por ela eram jovens e serão necessários mais estudos para confirmar as mudanças.

“O que temos de nos preocupar agora é quando as pessoas mais velhas e não vacinadas forem infectadas com a nova variante. Se elas não forem imunizadas veremos muitas pessoas com a forma mais grave da doença”, disse ela.

As vacinas são eficazes contra a nova variante?

Ainda não está claro para os pesquisadores se o novo vírus é capaz de superar a proteção das vacinas e qual é o poder de reinfectar pessoas que já tiveram Covid-19.

Vale destacar, porém, que a Ômicron foi mais detectada entre os jovens, a faixa etária que tem a menor taxa de vacinação na África do Sul. Somente um em cada quatro sul-africanos entre 18 e 34 anos é vacinado, conforme afirmações de Joe Phaahla, ministro da Saúde do país.

Publicidade. Continue lendo sua matéria ao descer mais a página

Segundo Tulio de Oliveira, um dos pesquisadores que descobriram a variante Beta, em dezembro de 2020, a cepa pode ser detectada por meio do exame PCR. Com isso, a descoberta dos casos pode ser mais rápida, o que ajuda no controle e no rastreamento de novas infecções.

A Pfizer anunciou na útlima sexta-feira que já realiza testes com a sua vacina e espera ter respostas sobre a eficácia do imunizante em até duas semanas.

Por ora, a OMS apontou que os imunizantes atuais permanecem eficazes contra doenças graves e morte.

Qual o risco de a variante chegar ao Brasil?

Aqui, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) confirmou ontem que teste de um brasileiro vindo da Etiópia, no sábado, deu positivo para Covid-19. O Instituto Adolfo Lutz está fazendo o sequênciamento genômico da amostra e o viajante já está em isolamento.

A agência recomendou que o governo federal imponha medidas restritivas a voos e viajantes vindos de dez países da África: África do Sul, Botsuana, Essuatíni, Lesoto, Namíbi, Zimbábue, Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia.

Para Isabella Ballalai, vice-presidente da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações), a indicação da agência brasileira é válida porque, mesmo com os bons índices de vacinação no país, os números não são homogêneos em todas as cidades e a pandemia ainda não chegou ao fim.

“Enquanto o mundo não estiver completamente vacinado, qualquer país, ou seja, todos nós corremos risco. As pessoas precisam entender que estamos em um bom momento no país, mas não podemos esquecer que a pandemia não acabou. Nós temos coberturas vacinais excelentes aqui no Rio, em São Paulo e em outras cidades. Mas há cidades com coberturas não tão altas”, explica Isabella.

E complementa: “Qualquer excesso pode trazer uma nova onda. Se não tivermos um controle da flexibilização e da entrada de estrangeiros no país, obviamente correremos risco”.

Quando foi encontrada a nova cepa?

Publicidade. Continue lendo sua matéria ao descer mais a página

O vírus foi descoberto na última terça-feira em amostras coletadas em pacientes nos dias 14, 15 e 16 de novembro. Na avaliação de outros exames, foram encontrados mais 100 casos em Gauteng, província da qual fazem parte Pretória e Joanesburgo.

Como a Ômicron surgiu?

Cientistas acreditam que a nova variante tenha surgido em uma pessoa HIV positiva infectada com a Covid-19 que não foi tratada, mesma hipótese levantada para o aparecimento da Beta no fim do ano passado. A África do Sul tem 8,2 milhões de pessoas infectadas pelo HIV. É o país com mais infectados no mundo.

 

Fonte: R7

Faça um comentário

Notícias relacionadas

Destaques

O Brasil bateu mais uma triste marca na pandemia nesta terça-feira (23), registrando mais de 3 mil mortes por Covid em um dia pela primeira...

Rondônia

Um vídeo que mostra os últimos minutos de vida de uma mulher que foi morta pelo tribunal do crime. A jovem identificada como Adriana...

Capital

A Caixa Econômica Federal depositará o dinheiro na conta corrente informada pelo trabalhador ou na conta poupança digital, usada para pagar o auxílio emergencial,...

Destaques

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Rondônia informa os horários de restrição de circulação de veículos em razão dos feriados de Natal e de...

Publicidade
× Quero anunciar!