Connect with us

Oi, o que você está procurando?

Brasil

APÓS O DECRETO ESTADUAL DE FLEXIBILIZAÇÃO, FESTAS E AGLOMERAÇÕES GANHAM FORÇA EM GUAJARÁ – MIRIM.

Guajará-Mirim, cidade de Rondônia que faz fronteira com a Bolívia, é um município de Rondônia com uma das maiores taxas de mortalidade, por conta do coronavírus, desde o início da pandemia. Entretanto,  as aglomerações que têm acontecido na cidade deixam parecer que na “Pérola do Mamoré” não existem mais pessoas infectadas com o vírus da Covid – 19. Eventos que atraem a participação de muitas pessoas se tornaram  comuns na cidade, tanto na área urbana como rural. Nos últimos 15 dias, foram registrados diversos eventos registrados em vídeos que viralizaram na internet. Entre esses eventos, constam uma festa na área da Comara, zona rural de Guajará-Mirim, e outro em uma chácara, no domingo (20), na BR Eng. Isaac Bennesby (BR 425).

Outra aglomeração aconteceu em frente à Empresa Rodão Motos, quando muitos veículos e ocupantes tomaram de conta de toda área.  O som dos veículos no local também era absurdo, desafiando os órgãos fiscalizadores. Muitas famílias que residem nas imediações do local onde houve o evento reclamam do barulho e da grande quantidade lixo deixado pelas pessoas, mostrando que a aglomeração realmente foi fora dos limites, com excessivo consumo de bebidas alcoólicas. Embora as pessoas se sintam muito incomodadas, ninguém resolve ligar para os telefones de contato dos órgãos fiscalizadores, porque, segundo os reclamantes, nenhuma providência é tomada e a cada dia os problemas se avolumam, sendo que os perigos da pandemia são completamente ignorados. Algumas pessoas também preferem não ligar para o 190, visto que existe a necessidade de preencher um extenso formulário de perguntas, fato que pode criar problemas futuros para quem tenta denunciar as aglomerações. Nossa equipe entrou em contato com o número 190, obtendo a informação de que realmente não houve nenhum registro sobre os fatos. Isto prova que as pessoas realmente estão intimidadas e preferem não arriscar em denúncias.

Empresa colocou tipo isolamento com corrente temendo ocorrer o pior no estabelecimento comercial

Diante de tantos exageros e absurdos, as pessoas questionam sobre a omissão da Vigilância Sanitária e outros órgãos fiscalizadores. Aparentemente, o decreto do governo de Rondônia tem efeito apenas na capital e outras cidades de Rondônia, deixando Guajará Mirim muito à vontade para promover todo tipo de aglomerações. Outro fato observado pela população é que a PRF e a própria PM, e até mesmo órgão de trânsito, não fazem nenhuma fiscalização em relação às pessoas que conduzem veículos após o consumo de bebidas alcóolicas, o que pode provocar graves acidentes. É muito comum, após as aglomerações, um grande fluxo de condutores que aparentam embriaguez ao trafegarem pelas vias públicas municipais e pela BR-425. Os proprietários de um posto de combustíveis próximo ao local da última aglomeração precisaram improvisar uma cerca de contenção para evitar o acesso de pessoas fumando nas proximidades das bombas de combustíveis, conduta que coloca em risco a vida de muitas pessoas, em função dos perigos de uma explosão. Diversos problemas já foram constatados neste local, em virtude de pessoas embriagadas que praticam manobras proibidas em vias públicas, como o chamado cavalo de pau. Os sinais de frenagens no local provam que as manobras continuam e podem provocar acidentes fatais.

Em relação à legislação municipal acerca das restrições durante a pandemia, existe um decreto assinado pela prefeita, com data do dia 19 de junho.  Em determinada parte do texto do decreto estão estabelecidas algumas normas a serem seguidas, como o exemplo a seguir: “Seção III – Dos Eventos e entretenimentos: Art. 10. Bares, conveniências e afins poderão funcionar, desde que não excedendo a 50% (cinquenta por cento) da capacidade máxima do local, vedada a utilização de som ambiente, seja através de música ao vivo, som mecânico ou instrumental. Art. 11. Fica expressamente proibida a venda de bebidas alcoólicas da 01h (uma hora) às 6h (seis horas), todos os dias, em TODOS os estabelecimentos que as comercializem”.

Como o novo decreto do governo de Rondônia, que flexibilizou muitas regras relacionadas com a covid-19, é possível que o número de infectados pela doença aumente muito nos próximos dias. Assim, considerando a frágil estrutura dos órgãos de saúde na rede pública de Guajará-Mirim e do estado de Rondônia, podemos viver dias de tragédias no estado.

Publicidade. Continue lendo sua matéria ao descer mais a página

Fonte: Guajará Noticias

Faça um comentário

Notícias relacionadas

Capital

A Caixa Econômica Federal depositará o dinheiro na conta corrente informada pelo trabalhador ou na conta poupança digital, usada para pagar o auxílio emergencial,...

Destaques

O Brasil bateu mais uma triste marca na pandemia nesta terça-feira (23), registrando mais de 3 mil mortes por Covid em um dia pela primeira...

Brasil

A Associação Médica Brasileira (AMB) divulgou um boletim nesta terça-feira (23) na qual condena, entre outros pontos, o uso de remédios sem eficácia contra...

Mundo

O Canal de Suez, no Egito, é uma das principais travessias marítimas do mundo para o transporte de mercadorias e matérias-primas. Desde terça-feira, a passagem...

Publicidade
× Quero anunciar!