Connect with us

Oi, o que você está procurando?

Rondônia

Projeto Pintando a Liberdade traz economia e promove a ressocialização em Rondônia

Fotos: Frank Néry

O Projeto Pintando a Liberdade (PPL) vem trazendo economia para diversas entidades sociais, prefeituras e o para o próprio sistema penitenciário. O projeto é gerido pela Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), por meio da Gerência de Reinserção Social (Geres), e conta com um ateliê de costura para a produção de bolas e artigos esportivos dentro do Presídio de Médio Porte, com a utilização de mão de obra dos reeducandos do regime fechado.

Segundo o gerente da Geres, Fábio Recalde, a produção do PPL é destinada a escolas e comunidades carentes, e quando necessário, para o próprio sistema. “Inicialmente, o projeto envolvia somente a confecção de material esportivo instalada na Penitenciária Estadual Ênio Pinheiro dos Santos, mas com a desativação da penitenciária em 2019 a fábrica foi transferida para a Penitenciária de Médio Porte. E, hoje envolve um ateliê de costura, o qual é responsável por confeccionar os uniformes dos reeducandos do sistema prisional, trazendo assim uma economia”, descreve o gerente.

Fábio Recalde destaca que o projeto iniciou em Rondônia no ano de 1999, devido à crescente ociosidade da população carcerária. “O projeto era do Ministério do Esporte (ME), que custeou 90% dos custos até 2013, depois dessa data, o Estado de Rondônia foi um dos poucos que continuou com o programa, pois teve que assumir 100% dos custos. Foi neste ponto que surgiu a parceria com apoio do Poder Legislativo e da Vara de Execuções das Penas e Medidas Alternativas (Vepema) do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia (TJ-RO), que através de recursos e de emendas parlamentares tem mantido diversas ações dentro do projeto”, explica Fábio Recalde.

Além disso, o gerente disse que, atualmente, cerca de 28 reeducandos estão participando do projeto. “Os reeducandos que participam têm remissão de pena prevista na Lei de Execução Penal, que a cada três dias trabalhados reduz um dia da pena, e também são remunerados pela sua produção. Todo o material esportivo é doado para entidades sem fins lucrativos, escolinhas de futebol e escolas municipais e estaduais trazendo assim benefícios para os reeducandos e também à sociedade”, conta.

“As ações no PPL continuam ampliando as parcerias. Neste ano firmamos parcerias com a prefeitura de São Miguel do Guaporé para a confecção de cinco mil mochilas e cinco mil uniformes para atender as escolas municipais da referida comarca, trazendo assim economia para o município, pois a única contrapartida foram os insumos”, lembrou Fábio Recalde, acrescentando que também foram internalizadas duas emendas parlamentares no valor total de R$ 113 mil, de autoria dos deputados estaduais Laerte Gomes e Dr. Neidson, que foram utilizadas para a aquisição de kits, para fabricação de 914 bolas de futebol de campo,  914 bolas de futsal, 322 kg de corda de polipropileno para fazer redes de traves de futebol e 156 kg de tecido helanquinha.

Secom

Faça um comentário

Notícias relacionadas

Rondônia

Um vídeo que mostra os últimos minutos de vida de uma mulher que foi morta pelo tribunal do crime. A jovem identificada como Adriana...

Destaques

O Brasil bateu mais uma triste marca na pandemia nesta terça-feira (23), registrando mais de 3 mil mortes por Covid em um dia pela primeira...

Destaques

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Rondônia informa os horários de restrição de circulação de veículos em razão dos feriados de Natal e de...

Capital

A Caixa Econômica Federal depositará o dinheiro na conta corrente informada pelo trabalhador ou na conta poupança digital, usada para pagar o auxílio emergencial,...

Publicidade
× Quero anunciar!