Capital Destaques

‘Parou de vez’, diz Hildon Chaves sobre o transporte público; Consócio SIM deixa a cidade sem ônibus

Nesta quarta – feira (23), o prefeito Hildon Chaves, informou através de uma live no Facebook que o serviço de transporte coletivo atual parou definitivamente suas atividades em Porto Velho.
De acordo com o prefeito, o Consócio Sim decidiu para as atividades tirando de circulação os últimos ônibus, e que a nova empresa irá assumir o serviço até o dia 19 de outubro, entretanto, em decorrência da gravidade da situação a Prefeitura estará agilizando os processos para que dentro de duas semanas os ônibus voltem a circular na cidade com uma nova empresa.

Transporte coletivo parou de vez

Posted by Dr. Hildon on Wednesday, September 23, 2020

A Secretaria Municipal de Trânsito (Semtran), dise que o Consócio SIM descumpriu o contrato com o município e entregou sua operação antes da data prevista.

Com a retirada dos ônibus do SIM das ruas, os portovelhenses estão sem transporte coletivo até a nova empresa (vencedora da licitação) começar atuar na cidade.

A prefeitura informou que deve se posicionar sobre a quebra contratual do SIM apenas durante a tarde desta quarta-feira.

A Semtran encaminhou uma nova pública acerca do assunto. Confira:

A Prefeitura de Porto Velho, através da Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transportes (Semtran), informa que foi confirmada a paralisação do serviço de transporte público urbano nesta quarta-feira (23) pelo Consórcio SIM. Há semanas, o trabalho ocorria com o funcionamento da frota reduzida e não superava 10 carros (ônibus).

A nova empresa que é irá administrar o novo transporte coletivo, a JTP Transportes Serviços, Gerenciamento e Recursos Humanos Ltda., tem um prazo regulamentar até o dia 17 de outubro para assumir o serviço. Mas, em razão da gravidade e urgência da atual situação enfrentada pela população, a Prefeitura está empenhando todos os esforços possíveis para antecipar esse atendimento por parte da empresa.

O Executivo ressalta que se não fosse uma decisão judicial que atrasou em 36 dias o início do serviço, uma nova realidade com relação ao transporte coletivo já estaria sendo vivenciada. A expectativa é que ainda no início do mês de outubro seja possível a disponibilização de 50 a 60 ônibus para um atendimento aos usuários com mais dignidade e respeito.

× Quero anunciar!