Connect with us

Oi, o que você está procurando?

Destaques

Ministério da Saúde atende pedido da PGR e diz que vai enviar 5,4 mil m³ de oxigênio por dia a RO

Com os hospitais públicos de Rondônia à beira do colapso total, o Ministério da Saúde informou na tarde deste domingo (21) que vai aumentar o envio de oxigênio medicinal ao estado a partir de segunda-feira (22).

Segundo a pasta do governo federal, serão fornecidos 5.400 m³ do produto por dia ao estado rondoniense, inclusive aos finais de semana.

O Ministério da Saúde ressaltou ainda que o oxigênio medicinal será levado de Manaus para Porto Velho, onde depois será redistribuído aos municípios. O oxigênio enviado do Amazonas será feito por meio de isotanques e os embarques acontecerão em aeronaves KC-390, do Ministério da Defesa.

O anúncio de que vai reforçar o oxigênio das unidades de saúde de Rondônia veio dois dias após a Procuradoria-Geral da República (PGR) enviar um ofício ao ministro da saúde alertando sobre o risco de desabastecimento.

“O fornecimento diário não tem previsão para parar. Caso haja necessidade, um meio de transporte adicional pode chegar a até 10 mil m³ por dia, baseado em tanques tipo Permacyl (modelo diferente de tanque criogênico, com menor volume, mas adaptável a outras aeronaves) em aeronaves C-130, também do Ministério da Defesa, partindo de fábricas e aeroportos localizados em diversos pontos do país”, informou o Ministério à PRG.

Risco de desabastecimento

Segundo a empresa que fornece oxigênio para hospitais a 33 cidades, o atual estoque de oxigênio só deve durar até a quarta-feira (24).

Na dia 12 de março, o Ministério da Saúde havia anunciado que garantiria 80 mil m³ por mês para os estados de Rondônia e Acre, sendo enviados em remessas três vezes por semana. Porém, de acordo com o ofício do Ministério Público Federal (MPF), esse volume de oxigênio não é mais suficiente devido ao colapso na saúde do estado.

Já na sexta-feira (19) foi entregue ao estado, através do Ministério da Saúde, uma carga de 5 mil m³ de oxigênio, que foi suficiente para atender apenas o Hospital Municipal de Ariquemes (RO), a 200 quilômetros da capital.

MPF alerta Ministério da Saúde para risco iminente de falta de oxigênio em Rondônia e Acre

Ainda na sexta-feira, o procurador da República em Rondônia, Raphael Bevilaqua, avisou o Ministério da Saúde sobre o risco dos hospitais ficarem sem oxigênio medicinal. A pasta tinha até a segunda-feira (22) para informar as medidas a serem adotadas.

Publicidade. Continue lendo sua matéria ao descer mais a página

Covid-19 em Rondônia

Rondônia está há cerca de dois meses com a lotação máxima dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de hospitais públicos. De acordo com boletim divulgado pelo Governo do Estado na última sexta-feira (19), 856 pacientes estavam internados em enfermarias e UTIs com a Covid-19 e cerca de 150 aguardavam por um leito.

Neste sábado (20), 15 pessoas precisaram ser transferidas para o Amazonas por falta de vagas nos hospitais de Rondônia. Desde o início da pandemia, 3.589 moradores morreram no estado com a doença.

Fonte: G1

Faça um comentário

Notícias relacionadas

Destaques

O Brasil bateu mais uma triste marca na pandemia nesta terça-feira (23), registrando mais de 3 mil mortes por Covid em um dia pela primeira...

Capital

A Caixa Econômica Federal depositará o dinheiro na conta corrente informada pelo trabalhador ou na conta poupança digital, usada para pagar o auxílio emergencial,...

Brasil

A Associação Médica Brasileira (AMB) divulgou um boletim nesta terça-feira (23) na qual condena, entre outros pontos, o uso de remédios sem eficácia contra...

Mundo

O Canal de Suez, no Egito, é uma das principais travessias marítimas do mundo para o transporte de mercadorias e matérias-primas. Desde terça-feira, a passagem...

Publicidade
× Quero anunciar!