Connect with us

Oi, o que você está procurando?

Mundo

Assembleia-geral da ONU suspende Rússia do Conselho de Direitos Humanos

Assembleia da ONU - Foto Reprodução

Dos 193 Estados-membros da assembleia, 93 votaram a favor da suspensão, enquanto 24 votaram contra e 58 se abstiveram, incluindo o Brasil

Assembleia-Geral da ONU decide suspender a Rússia do Conselho de Direitos Humanos
TIMOTHY A. CLARY / AFP

A Assembleia-Geral das Nações Unidas (AGNU) suspendeu a Rússia, nesta quinta-feira (7), do Conselho de Direitos Humanos da organização, em represália pela invasão da Ucrânia.

Dos 193 Estados-membros da assembleia, 93 votaram a favor da suspensão, enquanto 24 votaram contra e 58 se abstiveram, incluindo o Brasil. Isto pode sugerir um enfraquecimento da unidade internacional contra a Rússia.

Além dos Estados Unidos e da própria Ucrânia, os países da União Europeia, nações latino-americanas como Argentina, Chile, Colômbia, Peru e Uruguai, e outros Estados como Austrália, Canadá, Turquia e Noruega apoiaram a medida.

Entre os países que votaram contra estão a própria Rússia, China, Cuba, Irã, Nicarágua e Síria. Outros 58 estados decidiram se abster, incluindo Egito, El Salvador, Índia, México, Nigéria, Paquistão e Arábia Saudita.

O embaixador do Brasil na ONU, Ronaldo Costa Filho, disse: “O Brasil decidiu se abster na votação de hoje porque acredita que a comissão de inquérito deve ter permissão para concluir sua investigação independente para que as responsabilidades possam ser determinadas”.

Costa Filho acrescentou que o Brasil, “profundamente preocupado” com supostas violações de direitos humanos na Ucrânia, está “totalmente comprometido em encontrar maneiras de cessar imediatamente as hostilidades e promover um diálogo real que leve a uma solução pacífica e sustentável”.

Esta é a segunda vez que um país é suspenso do conselho. A Líbia foi o primeiro, em 2011.

O Kremlin lamentou a decisão e advertiu que Moscou pretende “continuar a defender seus interesses por todos os meios legais”.

“Lamentamos isso e continuaremos a defender nossos interesses por todos os meios legais e a nos explicar”, reagiu o porta-voz do presidente Vladimir Putin, Dmitri Peskov, em entrevista ao canal britânico Sky News.

Publicidade. Continue lendo sua matéria ao descer mais a página

Já a Ucrânia expressou seu agradecimento pela suspensão da Rússia afirmando que não cabe a “criminosos de guerra” estarem representados nessa instância da ONU.

“A Rússia não está apenas cometendo violações dos direitos humanos, está abalando as fundações da paz e segurança internacionais”, disse o embaixador ucraniano na ONU, Sergiy Kyslytsya, antes da votação.

“Os criminosos de guerra não têm lugar nos organismos da ONU encarregados da proteção dos direitos humanos”, declarou o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, no Twitter.

“Agradecemos a todos os Estados-membros que apoiaram a resolução [da AGNU] e ficaram do lado certo da história”, completou.

Criado em 2006 para substituir a fracassada Comissão dos Direitos Humanos, o Conselho é o órgão máximo da ONU para os direitos humanos e é composto por 47 países, eleitos para mandatos de três anos.

A sua composição, que é decidida por eleições realizadas anualmente, tem sido regularmente criticada por incluir Estados com registros muito duvidosos em matéria de direitos humanos.

 

Faça um comentário

Notícias relacionadas

Rondônia

Um vídeo que mostra os últimos minutos de vida de uma mulher que foi morta pelo tribunal do crime. A jovem identificada como Adriana...

Destaques

O Brasil bateu mais uma triste marca na pandemia nesta terça-feira (23), registrando mais de 3 mil mortes por Covid em um dia pela primeira...

Destaques

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Rondônia informa os horários de restrição de circulação de veículos em razão dos feriados de Natal e de...

Capital

A Caixa Econômica Federal depositará o dinheiro na conta corrente informada pelo trabalhador ou na conta poupança digital, usada para pagar o auxílio emergencial,...

Publicidade
× Quero anunciar!