Connect with us

Oi, o que você está procurando?

Economia

Alta do dólar e das cotações nas bolsas favorecem soja e café no Brasil; confira os destaques desta quinta

O indicador da soja do Cepea para o porto de Paranaguá teve um dia de alta dos preços; cotação variou 0,24% e passou para R$ 172,43 por saca

Soja: cotações têm leve alta

De acordo com a consultoria Safras & Mercado, em algumas regiões os frigoríficos foram bem sucedidos em realizar negociações abaixo da referência média dos últimos dias, como no caso de Mato Grosso e Goiás. Em São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul as cotações seguem estáveis. O mercado continua na espera de posicionamento da China para retomada das vendas.

Na B3, as cotações dos contratos futuros do boi gordo interromperam uma sequência de altas que se iniciou na semana passada e seguem travadas com a incerteza em relação às exportações. O ajuste do vencimento para setembro passou de R$ 302,55 para R$ 300,55, do outubro foi de R$ 307,90 para R$ 305,85 e do novembro foi de R$ 317,40 para R$ 315,30 por arroba.

Milho: indicador do Cepea chega ao menor valor desde início de julho

O indicador do milho do Cepea chegou ao menor valor desde o dia primeiro de julho, quando ficou cotado em R$ 91,25 por saca. A cotação variou -0,53% em relação ao dia anterior e passou de R$ 92,08 para R$ 91,59 por saca. Assim sendo, no acumulado do ano, o indicador valorizou 16,45%. Em 12 meses, os preços alcançaram 52,88% de alta.

Na bolsa brasileira, a B3, a curva de contratos futuros do milho voltou a recuar, seguindo o movimento observado no mercado físico. O ajuste do vencimento para novembro foi de R$ 92,67 para R$ 92,22, do janeiro de 2022 passou de R$ 94,08 para R$ 93,70, do março foi de R$ 93,85 para R$ 93,53 e por fim, do maio saiu de R$ 89,73 para R$ 89,43 por saca.

Soja: cotações têm leve alta

O indicador da soja do Cepea para o porto de Paranaguá (PR) teve um dia de leve alta dos preços. A cotação variou 0,24% em relação ao dia anterior e passou de R$ 172,02 para R$ 172,43 por saca. Dessa forma, no acumulado do ano, o indicador valorizou 12,04%. Em 12 meses, os preços alcançaram 17,04% de alta.

Na bolsa de Chicago, as cotações dos contratos futuros da soja chegaram ao segundo dia consecutivo com valorização, porém, ainda não recuperaram o patamar de fechamento da última semana, que foi de US$ 12,84 por bushel. O vencimento para novembro subiu 0,68% na comparação diária e passou de US$ 12,74 para US$ 12,826 por bushel.

Café: preços seguem firmes com Nova York e dólar

Publicidade. Continue lendo sua matéria ao descer mais a página

De acordo com a Safras & Mercado, as cotações do café no Brasil seguiram firmes com ganhos em Nova York e dólar em alta. No sul de Minas Gerais, o arábica bebida boa com 15% de catação passou de R$ 1.070/1.075 para R$ 1.080/1.085, enquanto que no cerrado mineiro, o bebida dura com 15% de catação foi de R$ 1.075/1.080 para R$ 1.085/1.090 por saca.

Na bolsa de Nova York, as cotações do café arábica subiram pelo segundo dia, mas seguem afastadas do nível de US$ 1,90 por libra-peso, que não é alcançado desde o dia 8 de setembro. O vencimento para dezembro, o mais negociado atualmente, teve valorização de 0,82% na comparação diária e passou de US$ 1,8335 para US$ 1,8485 por libra-peso.

No exterior: presidente do FED diz que retirada dos estímulos pode começar na próxima reunião

De acordo com o presidente do Federal Reserve (FED), Jerome Powell, o primeiro corte nas compras mensais de ativos, instrumento utilizado para estímulo monetário à economia, pode se iniciar já na próxima reunião de política monetária em novembro. Além disso, ele afirmou que até meados de 2022, pode ser apropriado retirar totalmente os estímulos.

Os mercados reagiram com volatilidade, pois em um primeiro momento a comunicação pareceu mais dura que nas últimas reuniões. Porém, as bolsas passaram a reagir positivamente quando Powell indicou que o processo deve ser bastante gradual. Dessa forma, os três principais índices de ações dos EUA subiram ao redor de 1,0%.

No Brasil: Banco Central sobe taxa Selic para 6,25% ao ano

O Banco Central decidiu por unanimidade elevar a taxa Selic em 1,0 ponto percentual para 6,25% ao ano. A decisão ficou em linha com o esperado pelo mercado, ainda que alguns analistas apostavam em alta de 1,25 ponto percentual. Além disso, os diretores afirmaram em comunicado divulgado após a decisão que na próxima reunião, o mais provável é mais um aumento de mesma magnitude.

Com recuperação do exterior após posicionamento do FED e diminuição da tensão na China, o Ibovespa apresentou forte alta. Dessa forma, o principal índice de ações da bolsa brasileira avançou 1,84% na comparação diária e ficou cotado aos 112.282 pontos. Enquanto isso, o dólar comercial subiu 0,34% e passou de R$ 5,286 para R$ 5,304.

  • Boi: estoques começam a pressionar preços
  • Milho: indicador do Cepea chega ao menor valor desde início de julho
  • Soja: cotações têm leve alta
  • Café: preços seguem firmes com Nova York e dólar
  • No exterior: presidente do FED diz que retirada dos estímulos pode começar na próxima reunião
  • No Brasil: Banco Central sobe taxa Selic para 6,25% ao ano

Agenda:

  • Brasil: dados das lavouras do Rio Grande do Sul (Emater)
  • EUA: PMI industrial de setembro
  • EUA: exportações semanais de grãos (USDA)

Boi: estoques começam a pressionar preços

 

 

Publicidade. Continue lendo sua matéria ao descer mais a página

Fonte: Canal Rural

Faça um comentário

Notícias relacionadas

Destaques

O Brasil bateu mais uma triste marca na pandemia nesta terça-feira (23), registrando mais de 3 mil mortes por Covid em um dia pela primeira...

Rondônia

Um vídeo que mostra os últimos minutos de vida de uma mulher que foi morta pelo tribunal do crime. A jovem identificada como Adriana...

Capital

A Caixa Econômica Federal depositará o dinheiro na conta corrente informada pelo trabalhador ou na conta poupança digital, usada para pagar o auxílio emergencial,...

Destaques

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Rondônia informa os horários de restrição de circulação de veículos em razão dos feriados de Natal e de...

Publicidade
× Quero anunciar!